plano de contingência e de recuperação de desastres

Como realizar um plano de contingência e de recuperação de desastres? Mesmo em tempos de distanciamento social, as contratações aumentaram em 30% no período, com destaque para as áreas de tecnologia e agronegócio, de acordo com uma pesquisa feita pela PwC.

O setor agro representou 1/4 do PIB em 2020 e está em plena expansão e transformação digital, o que indica a necessidade de um plano de recuperação de desastres bem efetivo, caso algo saia do planejado.

Leia também: Home office na pandemia: 5 tecnologias para facilitar a atuação de PMEs

Como realizar um plano de contingência e de recuperação de desastres? 

No último ano, o mundo todo se surpreendeu com a pandemia e precisou se reinventar e se adaptar aos meios tecnológicos para manter o mesmo ritmo de trabalho, estudos e outras obrigações.

Muitas empresas não estavam preparadas para tantas mudanças, já outras tinham um planejamento mais estruturado, o que colaborou para o desenvolvimento de suas operações.

Nesse sentido, ressaltamos a importância de as empresas adotarem um plano de contingência e de recuperação de desastres, também chamado de Disaster Recovery, que deve levar em conta a necessidade de diminuir a intensidade dos impactos decorrentes dessa crise de saúde, causada pela Covid-19, que também se tornou uma crise social e econômica.

O plano de recuperação de desastres é um documento que deve considerar aparelhos, equipe de funcionários, a rotina do negócio em questão e também as tecnologias que o empreendimento tem ou teve disponível nos últimos meses de operação.

Com todas essas informações reunidas, é possível que os gestores analisem quais medidas devem ser seguidas para minimizar problemas diversos, sejam causados por uma crise, como a pandemia, por exemplo, falhas humanas, fatores naturais ou problemas com tecnologias diversas.

Mais lidos: Migração para a nuvem: veja o passo a passo de como estruturar

Principais causas dos desastres

Existem algumas causas principais para criarmos um plano de contingência e de recuperação de desastres, sendo que eles podem variar de acordo com a sua localidade geográfica.

Das naturais, estamos falando de fatores que não conseguimos controlar, tais como terremotos, furacões, tsunamis, enchentes e demais elementos.

Também devemos ter em conta que outras pessoas podem estar por trás de um destes desastres, ou seja, crimes cibernéticos e roubos também se enquadram no plano, assim como erros humanos de sua própria equipe.

Portanto, se a sua empresa se encontra no Brasil, dificilmente ela deverá se preocupar com tremores de terra muito grandes, mas talvez seja interessante se precaver contra inundações, por exemplo.

É preciso conhecer bem sua localidade, para assim criar um bom planejamento contra os possíveis problemas do futuro.

6 Passos para montar seu plano de recuperação de desastres

PASSO 1 – Defina uma estratégia de continuidade

O plano de contingência e de recuperação de desastres deve ocorrer e ser capaz de manter os negócios funcionando, independentemente do que aconteça. Portanto, seu foco primário é a continuidade da operação. Com isso, todos os funcionários saberão como agir, se for preciso colocá-lo em prática.

PASSO 2 – Avaliação do impacto

Aqui é necessário entender o que pode ocorrer e avaliar as suas consequências em cada setor da empresa, afinal, cada equipe reage de uma determinada forma. Então é vital saber quais são as prioridades para cada tipo de desastre.

PASSO 3 – Metas RTO e RPO

RPO é uma sigla do inglês, que significa Recovery Point Objective, e tem relação com a quantidade de dados que é aceitável se perder, quando acontece um imprevisto. Já RTO quer dizer Recovery Time Objective, que visa estipular um prazo para que todas as operações se normalizem novamente.

Com essas duas metas estabelecidas, o plano de contingência e de recuperação de desastres pode definir quais são as prioridades e a velocidade que elas devem ser realizadas.

Veja também: Transformação digital: por que a jornada para a nuvem é uma tendência em tempos de home office?

PASSO 4 – Prepare suas estratégias

Com todos os dados levantados nos tópicos anteriores, já é possível traçar o planejamento para cada cenário, criando um plano de ação e determinando as prioridades.

PASSO 5 – Capacite sua equipe

Agora é preciso que todos os seus colaboradores estejam cientes do que devem fazer em cada situação, para que o seu plano de contingência e de recuperação de desastres seja um sucesso. Certificar-se de que todos estão preparados, é dar um passo na direção certa, caso o plano precise ser posto em prática.

PASSO 6 – Atualize seu plano

É importante sempre revisar e alterar o plano conforme necessário. Os sistemas mudam à medida que a tecnologia da informação avança, então sempre revise e o mantenha atualizado.

Você pode se interessar: Backup em nuvem: 6 erros comuns que você deve evitar na sua empresa

Conheça a add it!

Precisa de ajuda para realizar o seu plano de contingência e de recuperação de desastres?

A add it Cloud Solutions tem o diferencial de tratar cada cliente com suas particularidades, com o compromisso de garantir a operação sempre online, sem interrupções, sendo flexível em todos os aspectos da parceria.

Nossa solução de Disaster Recovery as a Service te dá todas as garantias para transformar o seu negócio. Ela é fácil de instalar, trabalha sem interrupções, é contratada como um serviço e é gerenciada de forma automatizada.

Quer saber mais? Acesse agora mesmo e converse com o nosso time!

 

 

Tags:

Comments are closed