proteção de dados

Com o aumento expressivo do home office, muitas empresas têm optado pelo armazenamento na nuvem. Mas é importante lembrar que, apesar de mais seguro, ainda é necessário ser cuidadoso com a proteção de dados

A transformação digital trouxe diversas mudanças e, com elas, muitos desafios aos profissionais de segurança em TI, principalmente em relação às ameaças, que acompanhando a tecnologia, também estão muito mais sofisticadas e, por vezes, desconhecidas. 

Segundo o estudo CISO Benchmark da Cisco, 52% dos respondentes apontam a nuvem pública como muito ou extremamente difícil de proteger, por sua vez, a nuvem privada aparece com 50% afirmando que é um grande desafio na segurança. 

A pesquisa também mostra que 46% das organizações em 2020 – contra 30% no relatório do ano passado – tiveram um incidente causado por uma vulnerabilidade não corrigida. A partir disso, 77% dos entrevistados planejam aumentar a automação para simplificar e acelerar as respostas em seus ecossistemas de segurança.

A segurança da nuvem é uma das grandes vantagens desse serviço. Seus protocolos de alto nível, permissões de acesso e uma maior gerenciamento são os principais motivos pelos quais muitas empresas têm optado por essa ferramenta.

Mas como o mundo corporativo lida com muita troca de informações confidenciais e dados vulneráveis, infelizmente, tem atraído cibercriminosos. Por conta disso, a proteção de dados se tornou um ponto crucial a ser melhorado não só pelos fornecedores, mas também pelos clientes.

Leia mais: 5 cuidados ao guardar arquivos na nuvem

Por que é importante tomar cuidado com a segurança na nuvem?

Erros humanas ocorrem e são normais, mas uma simples falha pode levar ao vazamento de arquivos confidenciais, exposições financeiras e espionagem industrial. 

No mundo empresarial, informações valem ouro, principalmente se algum dado valioso cair nas mãos de um concorrente, ocasionando na perda de clientes. 

Informações privilegiadas, um projeto de lançamento de um novo produto ou até uma estratégia, se vazadas, podem causar danos graves à imagem e financeiro da empresa. Ter uma proteção de dados sólida preserva a empresa de violações, ataques, vazamentos, espionagem, entre outras situações semelhantes.

Mesmo com uma ferramenta segura, é necessário implementar na empresa uma cultura de cibersegurança para que as falhas sejam minimizadas e os riscos diminuam. Ter uma equipe de TI devidamente instruída e preparada também contribuí para um ambiente virtual mais seguro.

Veja também: 6 aspectos que podem atrapalhar os resultados da infraestrutura em nuvem

Quais são as principais vulnerabilidades presentes em estruturas na nuvem?

Como apenas um servidor de nuvem possui diversos clientes, se este não for bem protegido, pode ser uma mina de ouro para os criminosos. Segundo relatório da Cloud Security Alliance, divulgado pelo CIO, especialistas apontaram que há 11 principais vulnerabilidades no serviço da nuvem. Vamos conhecer as 7 principais:

1. Violação de dados

Ataques maliciosos e violação de dados são uma das maiores preocupações de quem trabalha com a Cloud Computing. Principalmente com a chegada da Lei Geral de Proteção de Dados, a preocupação se intensificou ainda mais. 

Dados de clientes, como número do cartão de crédito, podem ser adquiridos e, com isso, contratos perdidos e punições legislativas são apenas algumas das consequências estimáveis.

2. Configurações incorretas

Por ser uma ferramenta ainda nova para muita gente, erros nas configurações da plataforma estão sujeitos a acontecer e, com isso, dados sigilosos podem vir a ser expostos.

Este foi o caso da empresa americana corretora de dados Exactis, que, em 2018, por um erro de configuração, deixou vazar informações pessoais de mais de 230 milhões de consumidores.

3. Falta de arquitetura e estratégia de segurança

Por muitas vezes, empresas migram para a nuvem sem planejamento prévio algum. Isso pode resultar em falta de estrutura necessária para receber esses dados, tornando-os extremamente vulneráveis a ataques e a erros de configuração.

4. Credenciais insuficientes

Os fornecedores de servidor em nuvem, geralmente, solicitam que os clientes mudem os processos de autenticação, senhas e permissões de acesso, para, assim, evitar invasões por falhas. Mas isso nem sempre ocorre.

O gerenciamento e controle de acesso aos dados que a nuvem oferece é um benefício de alta segurança, mas para funcionar com eficácia, é necessário que as empresas sigam os protocolos e façam as mudanças que lhe forem solicitadas.

5. Sequestro e invasão de contas

Ter um e-mail invadido, ou compartilhar seu login e senha com aquele colega de trabalho que esqueceu as credenciais dele parece não ser grande coisa, não é? 

Mas não é bem assim, através destes meios, os criminosos podem interceptar dados, modificar e manipular transições e orquestrar outros ataques. 

6. Ameaças internas

Ameaças que vêm de dentro da própria empresa podem ser tão sérias quanto os ataques externos. Isso pode acontecer com funcionários antigos, no caso em que as credenciais não foram trocadas ou desativadas, colaboradores atuais, prestadores de serviços ou até parceiros de negócios confiáveis.

7. Interfaces e APIs inseguras

A maioria das aplicações e serviços em nuvem oferecem APIs, as quais são utilizadas com a finalidade de interagir com as ferramentas da solução, como gerenciamento e monitoramento. 

É importante ressaltar APIs inseguras são um alvo comum e com camadas de proteção frágeis, elas se tornam muito vulneráveis.

Um exemplo disso é o ataque que o Facebook sofreu em 2018 e que afetou mais de 50 milhões de contas, expondo dados pessoais de usuários para o mundo inteiro.

Leia mais: Armazenamento em nuvem para empresas: como garantir segurança cibernética?

Como aumentar a proteção de dados na nuvem?

Visto a quantidade de riscos e danos que uma proteção de dados frágil pode trazer ao seu negócio, vamos agora explorar as recomendações de segurança que especialistas sugerem. Segundo a pesquisa citada da Cisco, há cinco iniciativas que podem ser adotadas com o intuito de aumentar a segurança cibernética:

  • Proteção em camadas: aplique proteção em camadas incluindo MFS, proteção de endpoint e segmentação da rede;
  • Visibilidade: para moderar os riscos, aumentar a conformidade, e fortalecer o gerenciamento de dados, alcance um alto nível de visibilidade;
  • Cuidado Cibernético: execute testes e treinamentos, faça a atualização e correção dos seus dispositivos e reforce bem as defesas já existentes;
  • Estrutura: Instale uma estrutura de confiança para amadurecer seus processos de segurança;
  • Plataforma: para realizar o gerenciamento de múltiplas soluções de segurança, empregue uma abordagem de plataforma integrada.

Além dessas recomendações, encontre um fornecedor que possua experiência na área como é o caso da Add it Clouds, empresa com mais de 20 anos no mercado de serviços em nuvem. 

Com atendimento prioritário de 24x7x365, projetos personalizados e protocolos de segurança certificados e robustos para garantir a proteção de dados da sua empresa, oferecemos aos nossos clientes assistência completa, desde o planejamento até o monitoramento ou suporte cotidiano para o seu negócio.

Venha implementar a transformação digital da sua empresa com total segurança. Entre em contato agora com nossos especialistas

 

Tags:

Comments are closed