gestão de continuidade de negócios

As crises acabam obrigando mudanças muitas vezes inesperadas. Com o coronavírus, por exemplo, a maioria das empresas precisou migrar para o ambiente online e a nuvem. No entanto, muitas não estavam preparadas para funcionar de maneira digital. Neste sentido, a gestão de continuidade de negócios é fundamental para apoiar as organizações.

Afinal, em meio a cenários adversos e desafiadores, as empresas precisam contar com uma gestão de continuidade de negócios eficiente. Dessa forma, é possível:

  • Adaptar-se a diferentes momentos e demandas, como o crescimento do home office;
  • Manter a empresa sempre disponível;
  • Evitar interrupções na infraestrutura de TI, como quedas de energia, falhas de hardware, problemas de rede e erros humanos;
  • Melhorar a resiliência de TI;
  • Garantir que os serviços não sejam afetados por interrupções;
  • Otimizar os processos de recuperação e continuidade de negócios;
  • Aumentar a segurança de informações;
  • Promover flexibilidade e mobilidade das cargas de trabalho.

Saiba mais: Cloud solutions: como otimizar as operações e manter a segurança da informação

Qual a importância da gestão de continuidade de negócios?

Com a chegada das medidas de isolamento e a exigência do trabalho remoto em decorrência da crise do coronavírus, as preocupações quanto à gestão de continuidade de negócios se elevaram.

De acordo com levantamento do IT Trends, 41% das empresas não tinham projetos de continuidade de negócios e 29% não tinham projetos de recuperação de desastres. 

Mas não foi só esse o impacto verificado. Segundo pesquisa da Pegasystems, 74% dos líderes entrevistados admitiram que não estavam tão digitalizados quanto o esperado. Assim, a crise expôs mais as lacunas nas operações e sistemas de negócios, que poderiam prejudicar a operação e o funcionamento adequado. 

Tais dados mostram a necessidade crescente de investimentos para que as companhias se mantenham ativas e preparadas para a digitalização de operações, a migração para a nuvem e o enfrentamento de riscos de interrupções de TI.

Inclusive, a continuidade de negócios foi a principal justificativa de 89% das organizações para obter investimentos emergenciais neste contexto, revela o IT Trends. Além disso, 90% aceleraram ou anteciparam o processo de transformação digital.

Neste cenário, a pergunta que fica é como fazer a gestão de continuidade de negócios, garantindo a preparação da infraestrutura de TI a fim de tornar a empresa mais digital e menos suscetível a problemas internos e externos.

Leia também: Como melhorar a competitividade empresarial com a implantação da nuvem?

Como construir um plano eficaz para a continuidade de negócios

Para manter as funções e processos empresariais durante e após qualquer situação de crise, um plano de continuidade de negócios é peça chave. Veja 5 passos para garantir sua eficiência:

  • Análise de impacto

A primeira etapa para montar o plano de continuidade de negócios é verificar as lacunas e vulnerabilidades da empresa, tanto para funcionários como para clientes e fornecedores. Assim, é possível avaliar a prontidão da companhia para operações e desempenho contínuos.

Caso haja brechas que permitam problemas e interrupções graves, uma parte da força de trabalho pode não funcionar. O relacionamento com consumidores, por sua vez, pode ser prejudicado causando danos à imagem da organização. Já os fornecedores podem não conseguir entregar mercadorias neste caso.

  • Mapeamento de riscos

Na elaboração do plano, a gestão de continuidade de negócios deve levantar todos os riscos associados aos processos executados e aos grupos envolvidos, como colaboradores e clientes.

Com essas informações, é possível saber as ameaças a processos rotineiros e os perigos a dados sigilosos da organização, delimitando os riscos potenciais, sejam financeiros, operacionais, estratégicos e outros.

Da mesma forma, pode-se colocar no plano qual a probabilidade de ocorrência dos riscos, quais processos podem ser realizados no local ou remotamente e quais as ações necessárias para permitir operações remotas.

Saiba mais: Gestão em segurança da informação: conheça as principais ameaças na nuvem

  • Definição de cenários

Com a análise de impacto e os riscos potenciais mapeados, o próximo passo é definir os cenários para a organização. Tais quadros vão de ocorrência “pior” e “mais provável” até “menor impacto” e “menos chance de acontecer”. 

Deve-se também detalhar os cenários do ponto de vista financeiro, operacional e estratégico para o próximo trimestre, semestre e até para o próximo ano. Assim, os líderes terão informações suficientes para traçar modelos de negócios alternativos ou até novas maneiras de atender os clientes.

  • Alinhamento e comunicação organizacional

Com todas as estratégias e respostas traçadas após definir os impactos e riscos organizacionais, é preciso assegurar que todos da empresa saibam o que e como fazer quando ocorrer algum imprevisto. 

Então, a gestão de continuidade de negócios deve realizar uma comunicação eficiente com os colaboradores, garantindo que todo o alinhamento seja transmitido corretamente. 

Além disso, as práticas de governança e conformidade também deve ser reforçadas para que os funcionários conheçam todas as regras e entendam como cumpri-las, independentemente da situação.

Leia também: Como o backup na nuvem garante o melhor armazenamento em nuvem?

  • Monitoramento contínuo

Para que o plano de continuidade seja bem-sucedido, é fundamental monitorar os indicadores de desempenho da organização de forma contínua. Com o conhecimento em tempo real sobre a performance de operações, sistemas e infraestruturas, é possível se antecipar a possíveis problemas e evitar interrupções.

Também é possível fazer ajustes e correções em processos e manter a capacidade de funcionamento de linhas de produção, cargas de trabalho, atendimento a cliente, entre outros.

Como a add it Cloud Solutions pode te ajudar

Com mais de 20 anos de experiência no segmento de tecnologia, a add it Cloud Solutions conta com diversas soluções em nuvem e o plano de recuperação de desastres para garantir a continuidade de negócios.

Assim, conseguimos ajudar as empresas a digitalizar processos, tornar aplicações e informações disponíveis na rede local ou na nuvem, de acordo com a necessidade dos nossos clientes.

Desenvolvemos projetos personalizados para cada situação e garantimos monitoramento contínuo 24×7.

Entre nossas soluções, disponibilizamos o virtual desktop workspace, que garante um plano de contingência, possibilitando o maior desempenho dos aplicativos e viabilizando a eficiência necessária para a equipe.

Além disso, temos o plano de recuperação de desastres, integrando backup na nuvem e mobilidade de carga de trabalho, minimizando os riscos de interrupções.

Quer saber mais? Entre em contato agora mesmo com nossos especialistas!

Tags:

No responses yet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *