recuperação de desastres

Seja qual for o segmento ou porte, uma empresa deve contar com um plano de recuperação de desastres para se reconstituir rapidamente durante imprevistos que afetem o ritmo ou paralisem as atividades. 

De acordo com estudo do Enterprise Strategy Group, 53% dos negócios suportam menos de meia hora com as funções inativas antes que graves prejuízos passem a ocorrer.

Assim, já é possível ter uma ideia dos transtornos e perdas que podem acontecer em pouco tempo. Para evitar esse tipo de situação, é que existe um planejamento prévio. Por meio dele, há a restauração ágil de dados e processos organizacionais. 

Além disso, é possível garantir a segurança e a estabilidade ao evitar a perda de informações vitais para a operação de uma empresa.

 Leia também: Segurança da informação: 5 ações para aumentar a proteção de dados empresariais

Como desenvolver um plano de recuperação de desastres?

É praticamente impossível prever certas situações que podem comprometer os sistemas de uma organização. Podemos citar, por exemplo, raios, incêndios, falhas no sistema operacional até ciberataques. Desse modo, o plano de recuperação de desastres se torna indispensável.

Pensando nisso, listamos 5 passos para criar uma estratégia que assegure a continuidade das operações. Confira:

 1. Faça um levantamento dos riscos

Para que o plano de recuperação de desastres seja realmente eficiente, deve ser elaborado de forma personalizada para cada negócio.

Portanto, o primeiro passo deve ser uma análise minuciosa dos riscos que a empresa corre. Para ficar mais claro, imagine que seu empreendimento está situado em uma área onde ocorrem inundações frequentes.

Nesse caso, trabalhar somente com um servidor interno não seria uma boa estratégia. O indicado seria utilizar os serviços de computação em nuvem de modo a não perder dados no caso de desastres.

 2. Defina prioridades

Após detectar as vulnerabilidades da empresa, é hora de estabelecer prioridades. Isso quer dizer definir quais ações são mais importantes a serem tomadas durante a recuperação de desastres.  

Para tanto, verifique quais os serviços mais críticos (e-commerce, e-mail, etc) e os organize por ordem e tempo de  restauração.

 3. Verifique as formas de backup mais adequadas

Outro aspecto a ser considerado no plano de recuperação de desastres é o ponto de recuperação. Isso quer dizer o momento exato que o sistema deve ser restaurado.

Além disso, é indicado contar com um backup automatizado para que páginas ou sistemas voltem a funcionar o mais rápido possível.

 4. Organize os procedimentos

Para que o plano de recuperação de desastres funcione, é preciso definir a responsabilidade de gestores e colaboradores durante um imprevisto.

Para que as ações ocorram de forma integrada e satisfatória, cada envolvido deve ter uma função específica no processo. Desse modo, é indispensável definir detalhadamente cada tarefa.

 5. Conte com o apoio de empresas especializadas

Desenvolver um plano de recuperação de desastres é uma tarefa complexa. Isso requer profissionais de TI experientes e antenados com as práticas atuais de mercado. A implementação dos processos e da estratégia pode ser facilitada a partir da contratação de empresas especializadas.

A add it Cloud Solutions possui todos os recursos de recuperação de desastres, backup na nuvem e replicação de ponta, que garantem zero tempo de inatividade.

A nossa solução de computação em nuvem permite gerenciar, migrar e restaurar dados por uma estrutura de TI em ambiente baseado na cloud.

Tudo isso sem configurações complexas ou investimentos em hardware adicional. O que minimiza os custos operacionais.

Quer saber como podemos auxiliar o seu negócio? Então, entre em contato com um de nossos especialistas agora mesmo!

Tags:

Comments are closed